sábado, 2 de janeiro de 2010






Que pena
Jorge Ben Jor

Ela já não gosta mais de mim
Mas eu gosto dela mesmo assim

Que pena, que pena
Ela já não é mais a minha pequena
Que pena, que pena
Pois não é fácil recuperar
Um grande amor perdido
Pois ela era uma rosa
Ela era uma rosa
E as outras eram manjericão
As outras eram manjericão
Ela era uma rosa
Ele era uma rosa
Que mandava no meu coração
Coração, coração, coração
Ela já não gosta mais de mim
Mas eu gosto dela mesmo assim
Que pena, que pena
Ela já não é mais a minha pequena
Que pena, que pena
Mas eu não vou chorar
Eu vou é cantar
Pois a vida continua
Pois a vida continua
E eu não vou ficar sozinho no meio da rua
No meio da rua
Esperando que alguém me dê a mão
Me dê a mão, a mão
Ela já não gosta mais de mim
Mas eu gosto dela mesmo assim
Que pena, que pena
Ela já não é mais a minha pequena
Que pena, que pena

2 comentários:

Raphaela disse...

Provavelmente você nem chegue a ler isso aqui. Mas é que eu to tentando me comunicar contigo desde 1912, quanto o Titanic tava se afundando. Teu celular é o mesmo ainda? Não consigo finalizar a chamada. Teu email, é o mesmo? Teu endereço, aonde é agora? Bem... só pra dizer que sexta-feira eu to por aí. Vou com Vitor e uns amigos. Quero te ver e queria que a recíproca seja a mesma! Saudades. Beijo.

PS.: a foto do perfil é linda e lembra um certo carnaval passado... :~

Raphaela disse...

Quer dizer, "queria que seja" não. "Quero que seja". Linguistica e emocionalmente correto.